Guest Post - Quer comprar um imóvel?


Quer comprar um imóvel?

Quem nunca sonhou em, finalmente, pegar as chaves da casa própria? Esse é um dos sonhos de vida mais comuns na sociedade. Além de aumentar seu patrimônio e investir o dinheiro de forma segura, procurar por imóveis à venda liberta as pessoas do pagamento do aluguel. Entretanto, essa é uma aquisição que exige grandes quantias em dinheiro, sendo o financiamento a única possibilidade que alguns têm para atingir esse objetivo.


Por conta de comprometer parte da renda familiar por um longo período de tempo, as opções de financiamento devem ser analisadas com cautela, já que as instituições aplicam diferentes taxas e condições de pagamento.

Não deve ser analisado somente o valor da parcela, mas sim se os juros e o valor final do imóvel são justos e condizentes com a situação econômica do país.

Para ajudar você nessa importante decisão pela melhor taxa de financiamento, preparamos esse artigo com as principais informações a respeito das práticas das instituições bancárias.

Quer comprar? A hora é agora!






O ano de 2018 tem tudo para ser um ano promissor para o investimento imobiliário ou para a compra da casa própria. A crise econômica experimentada pelo país nos últimos anos freou os investimentos e deixou muitos imóveis disponíveis, que tiveram seu valor reduzido e deixou muitos proprietários ansiosos para negociá-los.

Atualmente, por exemplo, é possível encontrar casas e apartamentos à venda em Curitiba por 60% do valor inicial, ou seja, o poder de compra aumentou e a negociação está toda na mão do comprador.

O ideal é que você tenha uma quantia em dinheiro para oferecer como entrada e, assim, diminuir o valor que será financiado. Isso vai unir o ano promissor a menores parcelas de financiamento.

Se você ainda não está convencido, lembre-se que a taxa Selic, um índice utilizado como “termômetro” do mercado imobiliário, diminuiu para 6,5% neste ano de 2018. Essa redução vai estimular o setor e facilitar o financiamento.

As taxas de financiamento influenciam no valor da propriedade?

Sim, e muito! As taxas de financiamento de imóveis são, em resumo, um preço que você vai pagar para usar o dinheiro da instituição bancária e utilizá-lo na compra da casa própria. Ou seja, quanto maior a taxa, mais você vai pagar no valor final do imóvel.

É importante que a pessoa interessada em financiar um imóvel pesquise as opções que estão disponíveis no mercado antes de fechar negócio com a primeira instituição que aprovar seu cadastro.

Outro detalhe que deve ser visto com atenção é o tempo de financiamento, já que quanto maior for o período de pagamento do imóvel, mais caro ele fica. O ideal, portanto, é ter um valor para oferecer como entrada.

É possível pagar menos no imóvel?

Existem diversas formas de você negociar o valor do imóvel que pretende comprar. A principal dica é procurar avaliar o momento atual do mercado imobiliário.

A boa notícia é que, como o setor está com muitas ofertas, é possível exercer a barganha e conversar com o proprietário a respeito dos valores exigidos.

Como foi dito, ter um bom valor de entrada, pelo menos 30% do total, já auxilia muito na negociação, já que muitas pessoas donas de imóveis precisam do dinheiro no ato da venda. Além disso, quanto maior esse valor, menos será financiado e os juros serão menores.

Para aqueles que buscam investir e não têm pressa para pegar as chaves do imóvel, uma dica é procurar por uma propriedade que ainda esteja na fase da planta. Esses imóveis costumam ser mais baratos e ainda possibilitam alguma personalização, como remanejamento de cômodos e acabamentos especiais.

Entretanto, ainda que você não tenha pressa, é aconselhável se informar a respeito do prazo para a entrega do imóvel e evitar surpresas desagradáveis, que frustram e afetam o planejamento.






Pesquise as melhores taxas do mercado de financiamento de imóveis

As instituições bancárias atualizaram suas regras de financiamento no último ano, com a diminuição das taxas de juros. Embora muitos achem que a única opção é por meio da Caixa Econômica Federal, isso não é verdade, já que a concorrência anda bastante disputada. Isso é ótimo para o proprietário, que consegue avaliar a melhor opção dentro das suas condições financeiras.

Porém, além de você avaliar a taxa de financiamento, é importante fazer as contas a respeito do Custo Efetivo Total (CET), que soma todos os valores que serão pagos por você ao final do parcelamento.

Os bancos também embutem outras taxas obrigatórias, por isso, é importante ficar ligado a todos os detalhes e conversar com o gerente responsável pelo setor de habitação.

Programa habitacional Minha Casa Minha Vida

As novas regras do programa habitacional do Governo Federal, agora, permitem que as famílias participantes tenham renda bruta de até R$ 9 mil. Algumas faixas de renda recebem subsídio, ou seja, ajuda com o pagamento da entrada do imóvel.

De qualquer forma, ainda que você não faça parte desses grupos contemplados, o programa garante taxas menores se preencher os requisitos do programa.

Sente-se mais seguro para procurar por taxas de financiamento atrativas? Existem muitos apartamentos à venda em ótimas condições e com preços convidativos. Comece a procurar agora nos principais portais de compra e venda de imóveis na internet!

Comentários

  1. Muito bom, Papai da Bolsa!
    Gostei do seu blog... vou adicionar ao meu blog roll.

    Se gostar do meu conteúdo, me adicione também: investidorestoico.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Excelente conteúdo.

    Quanto maiores informações ao comprador, melhor! Realmente devido aos descontos oferecidos, pode-se fazer um excelente negócio!

    Gostaria de compartilhar com você este guia de Finanças Pessoais para quem quer comprar o primeiro imóvel, acredito que possa ajudar seus leitores.

    E também vêm de encontro com o que você relatou aqui:

    http://blog.eticimoveis.com.br/compra-de-imovel/financas-pessoais-guia-definitivo/

    Obrigado pela oportunidade,

    Abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu Marlon, Conteúdo de qualidade é sempre bem-vindo.
      Abraço

      Excluir

Postar um comentário

Ainda é cedo para sair! Já conferiu AS MAIS LIDAS?

Mais lidas

Imposto de renda: rendimentos isentos e não tributáveis na venda de ações

Últimas operações na carteira de acões

Planilha x Imposto de renda