E QUANDO FALTA O DINHEIRO?


Olá amig@s,

Nos últimos dias, após o corte de alguns gastos, fiquei com dúvidas sobre qual investimento fazer com o dinheiro que sobrou.

Cogitei, inclusive, a compra de ações da Movida (Movi3), que se encontrava com preço interessante, na órbita de cinco reais por ação.

Mas enquanto permanecia com a referida dúvida, fiquei a refletir a respeito da situação inversa.

E quando falta o dinheiro?

Dívidas, parcelamentos, saldo insuficiente e limite estourado são situações que interferem diretamente na nossa qualidade de vida, razão pela qual a relação do dinheiro com o nosso bem-estar se encontra diretamente relacionada.

Na atualidade, sou grato por ter ao meu favor a estabilidade do serviço público, o qual me proporciona, na medida do possível, manter uma vida confortável com a família.

Mas já passei estresse por causa de dinheiro, inclusive contraindo financiamentos bancários.

Esta situação faz parte da vida moderna e é um reflexo da nossa sociedade, que se insere no contexto de estimular as pessoas a gastarem o máximo de sua renda.


A filosofia das redes sociais prega que mais importante do que ser feliz é a demonstração fotográfica de que se é feliz.

Dessa forma, existe pressão para você ganhar mais, gastar mais e atingir marcos importantes para provar sucesso.

Caso você compre essa pressão social, a corrida de ratos para auferir e consumir se torna um ciclo obsessivo e insustentável.

Agindo assim as suas finanças se tornam frágeis, um verdadeiro castelo de cartas que pode ser derrubado a qualquer momento.

Anota aí:






Este é um mundo de ilusões, que causa dores e dificuldades.

Não devemos ser consumidores vorazes, gastar como se não houvesse amanhã.

A mudança de paradigma para ter uma relação mais feliz com o dinheiro é possível.

Pois bem, assim como quem pretende manter um corpo saudável precisa de reeducação alimentar, quem quer liberdade financeira deve transformar a maneira como a mente funciona para alterar o próprio comportamento sobre as finanças pessoais.

Para evitar o comportamento financeiro ruim, que nos traz preocupações e afetam a nossa saúde, devemos administrar e planejar os nossos gastos, controlando os sentimentos em relação ao dinheiro.


Cabe a cada um de nós melhorar a nossa situação financeira, usando a inteligência e procurando meios de gerar renda passiva para fazer o dinheiro trabalhar a nosso favor.

Segue a dica de Jonathan Swift:

"Pessoas sábias devem ter dinheiro em suas mentes não em seus corações."

Grande abraço.

@papainabolsa

Comentários

  1. É isso ai PPNB gostei do texto, parabéns !!

    ResponderExcluir
  2. Sempre importante controlar as finanças pessoais e aumentar a renda para não faltar dinheiro, e assim viver mais tranquila.

    Abraço e bons investimentos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É isso aí, DIL.
      Aumentar a renda é fundamental para a nossa saúde financeira.
      Abraço

      Excluir

Postar um comentário

Mais lidas

Imposto de renda: rendimentos isentos e não tributáveis na venda de ações

Planilha x Imposto de renda

Últimas operações na carteira de acões